20 setembro 2015

Do luto para luta!

"Mas é claro que o sol /
vai voltar amanhã /
mais uma vez/
eu sei..."
(Mais uma Vez - Renato Russo)
 
Hoje, o post começa com música. Esta em especial, tem sido um mantra para todo amanhecer, apesar da sequencia de dias chuvosos neste final de inverno gaúcho.
Quem acompanha o Atelier Caseiro no Facebook, ou no Instagram @ateliercaseiro está a par dos acontecimentos que me fizeram puxar o freio. Quem só segue o blog, deve ter estranhado o tempo ainda maior decorrido da última postagem, a ausência das aulas temáticas e o meu sumiço. A casinha não fechou!
 
Agosto começou bem, num ritmo acelerado, já com vistas aos bazares e as vendas de final de ano. Mas, o que vinha bem desandou e o mês se encerrou de modo muito, muito triste. :(
No dia 28, faleceu meu Pai, meu amigo, fã da casinha, meu alicerce. De forma repentina, num piscar de olhos, os dele não se abriram mais.
No dia 31, foi a vez de minha avó materna fechar os dela.
Sim, em aproximadamente 48 horas, duas despedidas doloridas.
 
Racionalmente, sei que um dia todos nós iremos morrer, que a missão foi cumprida, que faz parte do ciclo de vida. Na prática, perder alguém que se ama(muito) é muito ruim. Dói!
Dá saudade.
Não dá vontade de fazer nada.
As lembranças pipocam a todo instante.
 

Encarar a realidade não é fácil. Eu sabia que não seria e ninguém me disse o contrário. É bem difícil conviver com a ausência.
Felizmente, sempre tive para mim que no coração as distâncias não existem e somos vizinhos daqueles que amamos. Sempre e para sempre estaremos juntos dentro do peito. Isso não muda a ausência, mas me conforta.
O conforto também veio da família que segue e das tantas mãos estendidas, que me seguram de pé.
Foram tantas mensagens, recados, telefonemas, abraços esmagantes, tanto carinho de perto, de muito longe que nada do que eu diga será capaz de traduzir minha gratidão e nada do que eu faça será capaz de retribuir todo o carinho.
#mimadasim #gratidãosemfim

 

Caixinha conforto como a que a Andrea me enviou, caneca linda enviada pela Rafaela, com cartinhas transbordando de amor, não tem preço.
Colega da época de estágio de Psicologia que canta e toca violão divinamente e que envia a versão dele para a música 'Mais uma vez' do Renato Russo, via whatsapp também é impagável. Wladmir, eu só não furei o LP ouvindo, porque o mundo moderno nos trouxe a música digital. ;)

São atitudes como estas que fazem a mais pura tradução de amor ao próximo, de gentileza, de acolhimento.
Já disse e repetirei mil vezes que eu tenho os melhores amigos que alguém pode ter e, por mim, pela minha família, por vocês, também pelo meu pai e minha avó é que a vida precisa seguir! ♥

Bem devagar, estou voltando. Sem me impor prazos insanos, sem pressa, respeitando o tempo de juntar meus caquinhos e por os tijolinhos desta casinha de pé, estou retomando a rotina.
 
Tal qual os soldadinhos da foto acima, organizo meu exército interno para seguir lutando, seguir enfrentando as dificuldades, seguir com garra fazendo mais e melhor.
Ontem, levada praticamente pelas mãos da amiga e aluna Juliana Oliveira, fui para Gramado-RS prestigiar o último dia do Festival Internacional de Quilt e Patchwork.






 
Vimos vários trabalhos lindos como os das fotos acima, é tanto talento nas costuras. Beleza que salta aos olhos!  
Fui com sorriso meio amarelo, sem muita vontade de socializar, abaixo de chuva e dia cinza. Mas, foi muito bom.
Fizemos algumas comprinhas, almoçamos um papá delícia, tomamos chimarrão e depois voltamos para casinha.
Obrigada Jujuba por me aguentar assim: meio pilha fraca!

Hoje, 20/9, dia da Revolução Farroupilha, a certeza de que não dá para fugir, não dá para fingir que está tudo normal, não dá para ficar no cantinho alheia ao mundo. 
Então, 'bóra para peleia.

Encomendas estão suspensas até que tudo se organize, até que as que já estavam agendadas sejam despachadas e principalmente, até que EU me reorganize.
Mas, já tenho algumas atividades na agenda, dia 3 de outubro aula fofoléti e temática confirmada, com turma lotada.
Provavelmente outubro terá mais uma data de aula, talvez na cidade de Igrejinha-RS, em ritmo de Oktoberfest e provavelmente de costura zig-zag. Ein Prosit!

Novembro teremos bazar na cidade e faremos um mini openhouse para convidados na capital. Também teremos aula temática e festa de Natal.

Dezembro, além de dar conta das listas de Natal, que Fofuxos e Fofolétis já estão pedindo ao Papai Noel, teremos a Culinária com Amor, aquela edição limitada e gostosa de comidinha caseira e deliciosa. Como sempre, para Culinária só aceitaremos pedidos locais, indicaremos nas nossas redes sociais as datas para pedidos e os horários de entrega ou retirada na casinha.


E assim, com minha rosa folhada de maçã, um post tudo junto e misturado, um dia por vez, eu agradeço a paciência de quem leu até o fim.
♥ Amo muito vocês, Ana Paula.

3 comentários:

karla disse...

Ah, guriazinha querida! Post que vai direto ao coração. .. Bom saber que teu processo está seguindo, que estás vivendo teu luto em direção da luta... Com certeza o sol vai voltar! E vai te encontrar cada vez mais plena de amor! Beijão apertado e todo o meu carinho

Flávia Castanheira disse...

Só eu sei o quanto seguir em frente e postar e trabalhar, assim tudo junto e misturado é doído, mas eu te digo, a dor? não vai! você se acostuma a ela, como quem perdeu um membro do corpo, um pedaço do coração e tem que aprender a conviver com esta falta.
Sei que você conseguirá, você é mais forte que pensa, e se na hora do desespero quiser dividir com alguém, me ligue! sabe que eu te entenderei se me ligares a meia noite.
Beijos no coração e boa caminhada.

cida silva disse...

Oi Ana passando aqui para deixar um cheiro e dizer que tô longe de corpo mas pertinho de coração. Vamos juntas em frente e quando uma cansar a outra ajuda a carregar os pesos que a vida nos trouxer. Isso se chama amizade bjs.